Entre a Ruína e a Paixão

7 de agosto de 2017
Créditos na imagem
Sinopse: "Uma noiva desaparecida na véspera de seu casamento. Um poderoso duque acusado de assassinato. Uma noite que mudou duas vidas para sempre. Temple viu seu mundo desmoronar quando acordou completamente nu e desmemoriado em uma cama repleta de sangue. Destituído de seu título é acusado de assassinato, o jovem duque foi banido da sociedade. Doze anos depois, recuperado em sua fortuna e seu poder como um dos sócios do cassino mais famoso de Londres, sua redenção surge quando a única pessoa que poderia provar sua inocência ressurge do mundo dos mortos. Após doze anos desaparecida, Mara Lowe se vê obrigada a reaparecer quando seu irmão perde toda a fortuna da família nas mesas do cassino do homem cuja vida ela arruinou. Temple quer provar a todos que é inocente e, sobretudo, se vingar e destruir a vida daquela mulher, enquanto Mara precisa enfrentar o passado para recuperar seu dinheiro. Assim, os dois firmam um acordo obsceno que os une em um jogo de poder e sedução. Mas ambos descobrem que a realidade esconde muito mais do que as aparências revelam e eles se veem em uma encruzilhada na qual precisam escolher entre lavar a honra do passado e garantir o futuro ou ceder ao desejo de se entregarem de vez à irresistível atração que sentem um pelo outro, mas que pode arruiná-los para sempre."

Título: Entre a Ruína e a Paixão | Autora: Sarah MacLean | Editora: Gutenberg | Ano: 2016 | Páginas: 304 | Nota: | Skoob

  Olha nós aqui outra vez, tudo bom queridos? Estamos de volta ao cassino mais badalado de Londres, o Anjo Caído. Desta vez para acompanhar a história de Temple e suas reviravoltas eletrizantes!

Resenhas anteriores:
 Entre a Ruína e a Paixão

  William Harlow é o duque de Lamont e possuidor de uma grande fortuna, seu futuro estava mais do que garantido como um sucesso absoluto. Mas tudo muda quando em uma noite ele se envolve com uma garota misteriosa que o leva para sua cama e desapareceu na manhã seguinte. O que ele não sabia é que esta mulher era a futura noiva de seu pai, complicando ainda mais a situação William não se lembra de nada do que aconteceu na noite anterior e ao ser encontrado pela empregada na cama de Mara Lowe sozinho em uma poça de sangue, e ele passa então a ser acusado e chamado de “O Duque assassino”.

  Ainda que não houvesse provas contra ele, já que nunca foi achado um corpo, ele foi afastado pela sociedade e seu pai o baniu de casa, foi aí que ao ser obrigado a conhecer a pobreza, sem lar ou comida e emprego ele passa a se chamar Temple e  para ganhar dinheiro ele passa a se envolver em brigas de ruas  e jogos de dados clandestinos.

   Até que ele se torna um dos sócios do Anjo Caído, ainda mais rico e agora mais perigoso, ele ainda convive com a grande dúvida se matou ou não Mara Lowe. 
Mas quando o irmão de Mara perde toda sua herança no Anjo Caído, Mara se vê obrigada a revelar que está viva e tentar negociar a fortuna de seu irmão em troca de limpar o nome de Temple. Eles irão se envolver em um jogo perigoso de vingança e terão que escolher o que é mais importante, seguir seu coração ou concretizar sua vingança.

 Devo dizer que este foi um dos livros que mais me deixou possessa de raiva, não consegui me dar bem com a personagem de Mara, ela me irritava a cada página. Sempre que tinha a oportunidade de consertar seus erros e recuperar a confiança de Temple ela estragava ainda mais a situação e nunca cedia ao que parecia ser uma chance para o amor. Mas em suma como o restante da série é um livro que prende o leitor.


A Casa do Lago, Kate Morton

31 de julho de 2017

Sinopse: “A casa da família Edevane está pronta para a aguardada festa do solstício de 1933. Alice, uma jovem e promissora escritora, tem ainda mais motivos para comemorar: ela não só criou um desfecho surpreendente para seu primeiro livro como está secretamente apaixonada. Porém, à meia-noite, enquanto os fogos de artifício iluminam o céu, os Edevane sofrem uma perda devastadora que os leva a deixar a mansão para sempre. Setenta anos depois, após um caso problemático, a detetive Sadie Sparrow é obrigada a tirar uma licença e se retira para o chalé do avô na Cornualha. Certo dia, ela se depara com uma casa abandonada rodeada por um bosque e descobre a história de um bebê que desapareceu sem deixar rastros. A investigação fará com que seu caminho se encontre com o de uma famosa escritora policial. Já uma senhora, Alice Edevane trama a vida de forma tão perfeita quanto seus livros, até que a detetive surge para fazer perguntas sobre o seu passado, procurando desencavar uma complexa rede de segredos de que Alice sempre tentou fugir. Em A Casa do Lago, Kate Morton guia o leitor pelos meandros da memória e da dissimulação, não o deixando entrever nem por um momento o desenlace desta história encantadora e melancólica“

 Título:  A Casa do Lago | Autora: Kate Morton | Editora: Arqueiro| Ano: 2017 | Páginas: 464  | Nota: 3/5  | Skoob


 Hey pessoal, hoje estou aqui pra falar sobre o livro “A Casa do Lago” que foi cedido pela parceria com a editora Arqueiro. Quando recebi já fiquei super entusiasmada, além do livro ele veio com bloco de anotação e um lápis, a capa dele é toda azul com tons que te dão a impressão de estar dentro do lago. 

 Acreditem ou não apesar da capa ter essa nuance toda romântica o livro trata-se de um suspense e irá nos mostrar a história da família Edevane em 1993, e também a história da detetive Sadie que se passa no ano de 2003 e se cruzara com o mistério desta família.

 Essa história começa na festa de comemoração do solstício de verão, dada por Eleanor Edevane e Anthony, tudo corria perfeitamente bem, seus filhos Deborah, Alice, Clementine e Theo o mais novo da casa, aguardavam ansiosos para a comemoração. Mas algo horrível aconteceu e mudou a vida de todos, Theo de apenas onze meses desapareceu sem deixar vestígios e todas as investigações a respeito desse caso nunca descobriram nada.

 Setenta anos depois, Sadie uma detetive que foi forçada a se afastar de um caso, está atualmente passando um período na casa do avô na Cornualha e neste tempo Sadie que tem o hábito de correr acaba encontrando o antigo lar da família Edevane, que nunca vendeu a propriedade em meio a uma antiga floresta. Seus instintos lhe dizem que algo aconteceu naquele lugar e durante suas investigações Sadie descobre sobre a tragédia na casa do lago. A necessidade de solucionar esse mistério irá leva-lá até um membro da família Edevane que ainda está vivo e mora em Londres e poderá lhe dar informações valiosas para desvendar este crime de uma vez por todas.

 O que terá acontecido com o pequeno Theo? Quem está envolvido nesse crime? Você irá se emocionar e surpreender com essa linda história. Achei a leitura intrigante e a trama foi muito bem desenvolvida, sinto que o único ponto que me incomodou foi esse malabarismo entre regressar a história ocorrida no passado e este desfecho no presente.




Os segredos de Colin Bridgerton, Julia Quinn

28 de julho de 2017

"Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade.Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz."

Título: Os segredos de Colin Bridgerton | Autora: Julia Quinn | Editora: Arqueiro | Ano: 2014 | Páginas: 336 | Nota: 5/5 | Skoob

Resenhas anteriores:
O Duque e eu
O Visconde que me amava
Um perfeito cavalheiro

   Quem me acompanha já está careca de saber o quão apaixonada eu sou pela série Os Bridgertons e pra quem tá chegando agora é só ler as resenhas anteriores. Julia Quinn me encantou com sua escrita, seu romantismo e me fez viciar em romances de época. Finalmente cheguei na metade da série e hoje vou contar um pouco do que achei do quarto livro e sobre o que eu espero nos próximos volumes. 

   Os romances de Julia são arrebatadores, o tipo perfeito de livro pra devorar em questão de horas, pra curar qualquer ressaca literária e nos fazer torcer com unhas e dentes pelos personagens. Isso somado ao clima, aos vestidos maravilhosos, os costumes e todas as tradições. Outra coisa bacana na série é que, embora o machismo fosse muito mais forte na época retratada, a autora sempre constrói personagens femininas fortes e que de alguma forma se destaquem ou sejam independentes. 

   Os segredos de Colin Bridgerton é o mais fofo, mais romântico eu acho e meu segundo preferido até agora (depois de O Visconde que me amava). A única coisa que tem me incomodado é qu os livros seguem a mesma linha de raciocínio: Mocinha fora dos padrões (inteligente, mas nunca maravilhosa) e o mocinho rico que surpreendentemente acaba se apaixonando por ela ou desejando-a por algum motivo. Não torna ruim a experiência da leitura, mas torna a mesma previsível, eu já até imagino como vai ser o próximo e o que virá depois dele. 

   
   O ápice do livro foi a revelação da identidade de Lady Whistledown, eu pelo menos já desconfiava de tal personagem, mas a narrativa soube me enrolar direitinho e em alguns momentos cheguei duvidar muito de meu palpite. No fim, as coisas só fizeram sentido quando vieram à tona mesmo. 

   As cenas mais "quentes" não foram o forte deste livro, que é bem mais fofo e romântico como eu já disse. Mas por outro lado é um livro muito engraçado, carregado de humor sarcástico na verdade, o qual me fez rir muito durante a leitura. Apesar de ter visto muitas críticas negativas à respeito do livro, de acordo com a minha experiência, eu indico muito pra quem gosta de romance de época ou romance no geral.


Cadu e Mari, A.C. Meyer

26 de julho de 2017

"Mariana trabalha em uma badalada revista de moda. Tem um bom salário, é muito competente... E tem uma queda pelo chefe, daquelas bem poderosas. Eles vivem em mundos completamente diferentes, e Mariana sabe que nunca acontecerá nada entre os dois. Até que Carlos Eduardo repara que sua secretária é muito, muito bonita. O amor entre os dois é arrebatador, e Cadu e Mari sentem que nasceram um para o outro. Mas as coisas logo começam a desandar. Talvez Cadu ainda não esteja preparado para confiar em uma pessoa que teve uma vida tão diferente da sua; talvez Mari ainda não se sinta segura em dividir sua realidade com o chefe. Para viver esse amor, os dois precisarão enfrentar preconceitos e vencer intrigas. Será que estão prontos?"

Título: Cadu e Mari | Autora: A. C. Meyer | Editora: Galera Record | Ano: 2017 | Páginas: 280 | Nota: 4/5 | Skoob | Livro recebido em parceria com a editora para divulgação

   Já faz algum tempo que eu venho investindo mais nos livros nacionais e não tenho me arrependido de forma alguma, inclusive pretendo fazer um vídeo indicando quais os meus preferidos. Cadu e Mari foi uma aposta minha durante a #MLI2017 e eu me apaixonei pelo livro, estou até agora querendo mais. Será que tem como?

   O livro me encantou logo na capa, mas fiquei mais interessada quando vi que o sumário (índice) forma uma playlist onde cada capítulo tem o nome de uma música. E pensem numa playlist maravilhosa? Nando Reis, Jota Quest, Elis Regina, Marisa Monte, Legião Urbana, Tom Jobim e por aí vai. Mas vamos ao que interessa. 

   O enredo, de início, é bem clichê. O CEO maravilhoso e enigmático e a secretária competente e encalhada, porém a autora conseguiu muito bem encaixar um diferencial em tais estereótipos pra deixar a história mais interessante. A mocinha foge dos padrões de beleza estabelecidos, ela tem o corpo "clássico da brasileira" que veste 44 e tem bunda, curvas e é bronzeada pelo clima do Rio de Janeiro. Foi uma das minhas coisas preferidas no livro, me identifiquei de verdade com a personagem num nível que nunca tinha acontecido antes.

   Ainda falando de Mari, fiquei muito contente por ela ser o tipo de mulher que bate o pé, teima, luta por aquilo que quer e acredita e não faz a típica "submissa" destes romances com CEO's da vida.
    Em alguns momentos as coisas se tornaram um pouco previsíveis, mas nada que me incomodasse tanto. O livro não se trata do mais filosófico e profundo dos romances, mas é muito leve, gostoso e divertido de ler. Eu gostei muito, me apeguei com os personagens e fiquei muito curiosa pra ler mais coisas da autora.

   A única coisa que me incomodou e eu preciso mencionar foi uma cena na qual eu achei que houve uma certa romantização de ciúmes, porém não vou me prolongar aqui problematizando a questão e ainda vos digo por quê: logo após a cena (a qual achei muito ridícula) a protagonista Mari bateu o pé e colocou o rapaz em seu devido lugar.

   A edição está maravilhosa, não encontrei erros na revisão e fiquei muito satisfeita com a leitura. Indico muito, dei nota 4! 

Tecnologia do Blogger.