Resenha: Segunda temporada de The Following

30 de abril de 2014

    Caros leitores, sobre minhas séries eu estava bem atrasada, então, fiz uma maratona nos últimos três dias para deixar The Following em dia. Eu tinha parado no episódio nº4 há alguns meses atrás. Dois, eu acho. E terminei hoje o episódio de número 15. Com algumas coisas que virei a compartilhar eu fiquei um pouco frustrada e, se você também é fã, peço que deixe sua opinião nos comentários.

    Começando pelo fato de Joe Carroll ter pedido abrigo a seita de Micah. Eu achei ridículo, toda aquela religião e baboseira de "Korban is love" e a ideia de que havia um "lar" depois de saturno. Sério? Achei que toda essa parte foi desnecessária para a temporada. Micah, Julia, os vermelinhos de Korban. Todos foram personagens desnecessários. E, cá entre nós, Joe Carroll sabe muito bem se virar pra procurar um esconderijo melhor, vocês não acham?
Ainda em Korban, todas aquelas aulas sobre como matar foram evasivas. Joe é um psicopata e pronto. Não existe essa baboseira de sacrifício de sangue pra salvar uma alma, ficou bem claro aos espectadores que nem mesmo o personagem acreditava no que estava dizendo e só dizia pra convencer seu próprio legado a matar por ele. Esperto, mas chato. Convenhamos que, na primeira temporada os romances e poemas de Edgar Allan Poe eram mais excitantes pelo fato de Joe acreditar naquele propósito. Joe matava porque achava poético e bonito, como todo psicopata. Era mais lógico, haviam mais enigmas e deixava a trama mais interessante pois Ryan Hardy tinha de decifrar as mensagens de Joe. E agora? Eles vão decifrar a bíblia? Sério? Patético.
    Mandy, na minha opinião também foi uma personagem desnecessária na temporada. Joe podia ter matado ela e a mãe e fugido. Não havia ninguém ali que pudesse denunciá-lo, ele teria conseguido sozinho. E Mandy, apesar de tudo, não estava pronta pra "seita" que Joe queria recrutar. Ela não é uma psicopata, apenas uma garota problemática e carente que precisava de atenção e proteção. Ou uma figura paterna. Ela não sabia matar, sentia nojo e chorava quando via seus "parceiros" fazendo isso e além de tudo era facilmente influenciável. Ou em outros nomes: burra. O que ela pensou ao fugir de Korban? O que ela esperava de Lily? sinceramente, um psicopata não pensa assim e me admira que Joe tenha se importado com ela, ao contrário da primeira temporada onde ele mesmo eliminava os fracos sem nem piscar.
    Não estou certa de que este tenha sido uma season finale, embora se pareça muito com uma. Eu espero que tenha sido, mas não tenho certeza. Mas... dando continuidade a lista de personagens desnecessários eu vou me referir agora ao grande problema da série: Claire. Sério? Por que trouxeram ela de volta? Ela não estava mais segura fingindo a própria morte? Em primeiro lugar, ela tira completamente o foco de Ryan, em segundo os planos (tanto dos vilões como dos mocinhos) dariam mais certo se ela não tivesse se infiltrado na bagunça; ao invés disso resolveram cortar personagens interessantes e necessário pra série. E também pelo simples motivo de que até Ryan já havia superado sua suposta morte. Não havia nenhum motivo sequer que fizesse necessário a volta da personagem. Eu achei desnecessário.
    Sobre quem deveria ter morrido ou não, segue o meu protocolo. Joe Carroll devia ter morrido no lugar de Lily Gray (que demonstrava ser uma vilã bem mais interessante e calculista); Claire Matthews deveria ter morrido; Luke e Mark deviam ter morrido os dois e não apenas um, motivando assim sua mãe a voltar uma vilã mais astuta e cruel em uma próxima temporada. Só assim Ryan Hardy finalmente seguiria sua vida novamente e criaria um novo futuro para si. Porque já que Joe apenas foi preso, ele pode fugir e recomeçar tudo de novo (o que vai ser extremamente chato e repetitivo). E Mark é infantil, fútil, evasivo e muito influenciável para ser um novo vilão, a não ser que a morte do irmão o deixe abalado o bastante para amadurecer e recrutar seus próprios seguidores. O que seria um erro, pois se Joe ainda está vivo e pode fugir, por quê raios precisamos do Mark como vilão? Tem de ser um só, ou fica chato.

    Além disso o fato de a FBI sempre chegar atrasada ou por um fio não matar os fugitivos ou deixarem-nos fugir de novo foi bem estressante. Todos os episódios alguém tinha uma chance de matar alguém e não o fazia. Frustra demais. Meus únicos motivos pra ter chegado até este ponto na série foram: Curiosidade, Max e Mike. Meus personagens favoritos.
    Se houver ainda mais um episódio, espero que encontrem Mark e o matem ou que matem Joe. Um dos dois tem de partir pra que haja apenas um vilão da próxima temporada. Acho que deixei esse meu ponto de vista claro: dois vilões deixa tudo mais cansativo e bagunçado. Espero também que Mike assuma a terceira temporada como investigador principal e Ryan suma um pouco das nossas vistas pois essa obsessão dele me deixou louca já. E que Max fique ao lado do Mike e não morra. Eles são bons juntos e bem mais espertos que qualquer outro na série. Mas se nem Joe e nem Mark morrerem, talvez o mundo possa deixar de lado o maior serial killer de todos os tempos e se prepararem para um novo vilão vingativo que deseja derramar sangue daqueles que provocaram a morte do irmão. São minhas opções e apostas para a continuação da série. Se houver. 

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.