Resenha: Princesa Adormecida de Paula Pimenta

1 de setembro de 2014

Sinopse: Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única.
Título: Princesa Adormecida | Autora: Paula Pimenta | Editora: Galera Record | ISBN: 9788501034205 | Ano: 2014 | Páginas: 192 

   Confesso que, na décima página eu parei e pensei "será que eu vou gostar mesmo?" e eu só paro pra pensar nisso depois da centésima primeira página. Mas sim, eu adorei o livro e foi o primeiro nacional que eu li neste ano. Sério, havia muito tempo eu não me interessava por coisas nacionais e Paula Pimenta conseguiu me conquistar, devagarinho e deliciosamente com o romance.
   A escrita é gostosa, a narrativa é bem divertida, rápida e fofa. Me fez lembrar da época em que eu lia as histórias das Princesas da Disney e também da época em que eu lia fanfics e eu explico por quê: a história realmente parece um conto de fadas, coisas que não acontecem normalmente na vida de uma adolescente a Paula fez acontecer no livro.
   Talvez a única coisa que eu não tenha gostado foi isso, as coisas acontecem muito facilmente para Rosinha, quem lê ou lia fanfic vai entender o que eu quero dizer: coisas improváveis não acontecem todo dia com a mesma pessoa. Mas, eu perdoei este detalhe por me lembrar de que o livro se trata de uma releitura de um conto de fadas. Ou seja, em alguns pequenos momentos a leveza tão gostosa no livro fez com que a história parecesse muito infantil e não creio que tenha sido esta a ideia.
   A leitura é leve, nada profundo demais nem cansativo, tem um enredo muito criativo e romântico. Adorei as mensagens de texto; a escolha da musica da Colbie Caillat; o cenário; os personagens novos e a cara nova que ela deu pras historinhas que nós meninas líamos quando criança. Me senti uma princesa.
   Outra coisa que me fez adorar o livro logo de cara foi a originalidade, hoje os sick-lits estão dominando e em vários romances que você lê tem drama, mortes, pessoas doentes ou deficientes. Eu gosto, mas estava precisando deste toque diferente que o livro Princesa Adormecida tem e fiz a escolha certa do livro certo no momento exato. Era o que eu precisava ler e eu leria novamente.
   Com os compromissos de trabalho, faculdade, amigas e namorado eu li o livro do dia 27/08 ao dia 31/08 porém o livro é tão gostoso e encantador que eu passava horas a fio lendo sem nem perceber. Talvez eu tivesse lido mais rápido não fossem tantas tarefas, mas não por pressa... Porque as coisas simplesmente fluem e viciam. Eu não conseguia largar a história, queria ler a todo momento e quando não podia eu ficava imaginando o que aconteceria no próximo capítulo na vida de Rosinha.
   Tô louca pra descobrir quantas mais princesas vem por aí.
   O visual do livro é maravilhoso. Desde a capa, as orelhas, os balões de diálogo; a fonte dos títulos dos capítulos... Tudo, inclusive o cheirinho de livro novo. Paula Pimenta e Galera Record estão de parabéns!

4 comentários:

  1. Acho que se eu acordar e descobrir que aquilo não era real, ou até mesmo perder meu amor, acho que eu morreria kakakaka, gostei do livro, parabens pelo blog, da uma passada no meu www.maisqueumrotulo.com, tem DIY novo la, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, né? Eu também ficaria desesperada, haha!

      Excluir
  2. Olá Thaísa!
    Estou sempre lendo resenhas mega positivas sobre esse livro e, por isso, ele se tornou prioridade nas próximas compras, asusahuashaushasuashuasha!!!! Realmente, Paula Pimenta sabe como nos arrebatar com uma história única!

    Beijos
    http://estantedafer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer, eu odeio comprar algum livro sem ler resenha antes. Mas este eu comprei no impulso mesmo, ainda bem que eu adorei, né?

      Excluir

Tecnologia do Blogger.