[DICAS DE FILMES] Lucy

26 de janeiro de 2015

    Pontuação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
    SinopseQuando a inocente jovem Lucy (Scarlett Johansson) aceita transportar drogas dentro do seu estômago, ela não conhece muito bem os riscos que corre. Por acaso, ela acaba absorvendo as drogas, e um efeito inesperado acontece: Lucy ganha poderes sobre-humanos, incluindo a telecinesia, a ausência de dor e a capacidade de adquirir conhecimento instantaneamente.

  Resenha:
    Eu estava querendo ver este filme há muito tempo e, aproveitei o fim de semana preguiçoso pra quebrar todo o mistério a respeito de Lucy. Que me deixou completamente entusiasmada.
    Devo começar dizendo que sim, eu subestimei Scarlett Johansson, pois desde o início dos trailers eu imaginei que ela não combinava para o papel de uma heroína. Mas acontece que eu me surpreendi em primeiro lugar por sua capacidade, foco e atuação incrível. Ela realmente entrou no papel e não seria difícil pra mim agora imaginá-la em outros filmes de ficção científica.
    Em segundo lugar preciso compartilhar o fato de que há muito tempo eu não via nada tão bom desse gênero. O roteiro foi muito bem trabalhado e original, Luc Besson se superou. Afinal, Lucy não é uma personagem com o poder de voar; soltar fogo pelos olhos; se teletransportar ou fazer o que os super heróis fazem nos filmes repetitivos de hoje em dia. É um enredo tão único que ao invés disso, ela tem todos os poderes possíveis de uma forma mais científica e fundamentalista. Ela controla tudo o que quiser, da maneira que quiser e tudo isso se deve a natureza genética. (Viva as células!)
    Como se não bastasse ela nos surpreende mais uma vez quando, ao invés de grandes cenas de combate físico ou troca de tiros com os inimigos ela simplesmente os desarma com a força do pensamento, com classe; superioridade e muita originalidade. Mas não pense que foi sempre assim, voltemos a fita. Lucy não nasceu com super poderes, muito menos foi picada por insetos capazes de provocar alguma mutação em seus genes. Ela foi vítima de uma máfia que pretendia traficar (dentro de seu estômago) um pacote de droga, mas o que ninguém espera é que devido alguns chutes o pacote estourasse e a droga se espalhasse pelo seu corpo, causando efeitos colaterais surpreendentes.
    A personagem e sua bravura me fez lembrar, em alguns momentos, a viúva de Kill Bill, superando o sexo masculino com sua competência e esperteza. Sendo sexy, cômica, inteligente e até mesmo filosofa em alguns momentos. E embora todos aqueles dados científicos sejam falsos, são tão bem misturados a história real do universo que a ficção científica que se dá ali é impressionante, assim como todas as imagens do cosmos.
    E concluo esclarecendo, caso seja possível que alguém tenha ficado com dúvida, que ao contrário do que o filme conta, o ser humano não usa apenas 10% do seu cérebro.

 

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.