Primeiras Impressões | A mais pura Verdade - Dan Gemeinhart

3 de março de 2015

Autor: Dan Gemeinhart
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 23 de Março de 2015
SinopseEm todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça. A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável. Skoob.

Classificação: 



     Desde que eu peguei o livreto na mão, eu imaginei que seria algo marcante e que eu contaria os dias para o lançamento, mas, daí eu parei e pensei: outro Sick-lit? Outro adolescente doente num livro com a capa azul? Espera aí, todos nós já vimos algo parecido e eu respondi à mim mesma Por que não? Por quê não outro livro azul com um protagonista doente? Qual o problema? Aliás, se você pensa que se trata de algo repetitivo está enganado. Dan escreveu uma das coisas mais originais que eu já li e, pra falar a verdade, Mark me lembra mais August Pullman (O Extraordinário) do que Hazel Grace (A culpa é das estrelas) já que estamos falando de comparações, porque, infelizmente vi muitas comparações sobre Mark e Hazel na internet. Mas vamos ao que interessa.
    De todas as coisas que eu gostei no livro a que mais me chamou a atenção foi a coragem de Mark, porque ele não ta nem aí se ele tá doente ou não: quer realizar seu sonho. Quer se sentir livre e, confessemos, é de se admirar um garoto na sua idade não ser acorrentado ou acomodado, mas que enfrente seus problemas de frente desde muito cedo. É de se esperar que alguém na sua idade queira jogar videogame até o câncer tomar conta de todo seu corpo, ou se arrastar aos tratamentos só para alimentar as esperanças dos pais. Pelo contrário, Mark foi inteligente e privou as outras pessoas deste sofrimento que ele achava que deveria ser só dele. Não cabia a ninguém sentir pena, não podia ver mais ninguém deixando de viver suas vidas para cuidar dele. Era só ele e o Beau agora.
    Beau me emocionou muito, aliás. Quem de nós nunca quis fugir de casa quando criança, após uma briga com a mãe ou o irmão? E em quem unicamente nós pensávamos em levar junto? Ou era o gato, ou o cachorro ou aquele urso de pelúcia velho que dormia do nosso lado todos os dias. Vendo Mark ali sentado á caminho de sua aventura, com as lágrimas nos olhos e seu cachorro na mochila, percebo que o autor está tentando nos passar uma mensagem importante: Quantos sonhos abandonamos e deixamos pra trás, com desculpas de termos algum problema seja ele físico, financeiro ou emocional? Quantas vezes sacrificamos o amor daqueles que realmente importam pra viver algo que nós queríamos viver? Pense comigo e fará sentido: Quantas vezes você deixou algo que julgava ser importante, por algo ou alguém?
    Ainda não contente, Dan incluiu no drama valores como amizade; lealdade e generosidade. O que eu achei muito tocante, mesmo concordando que algumas cenas são deveras tristes e cruéis: é como a vida é. A vida não é fácil e essa é a mais pura verdade.  Mas em algum momento critico a posição de Jessie, isso tem de ficar claro: ela teve suas razões; ela sabia o quão isto significava para Mark e sabia que não podia intervir. Era o direito dele, não era? Era ele quem sofria com câncer, a escolha podia ser e devia ser exclusivamente dele. Me encantei com a história, me emocionei e fiquei arrasada quando meu livreto acabou, mas posso afirmar para vocês leitores de que, quando o livro lançar vocês não vão se arrepender. Pois é um investimento e tanto.
    Gostaria de aproveitar o post e agradecer a Editora Novo Conceito pela oportunidade e dizer que foi uma honra receber a proposta livro aqui em casa, ainda mais poder resenhá-lo.

Quotes:

"Isto é uma coisa que eu não entendo: por que as pessoas gostam de levar consigo uma coisa que as faz lembrar de que suas vidas estão indo embora."

"Mesmo a muitos quilômetros de distância, um amigo ainda pode segurar sua mão e estar ao seu lado."

"A vida é um saco. Essa é a mais pura verdade. Mais uma coisa que eu não entendo: por que todo mundo sempre tenta fingir ser o que não é?"
 
Foto: Arquivo pessoal




10 comentários:

  1. Adorei a resenha e to louca pelo livro.
    Beijos.
    impulsaoliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem legal né? Haha, volte sempre. Beijos.

      Excluir
  2. Também recebi um desses, mas ainda não iniciei a leitura.
    Já me animei mais depois de ler sua resenha, que está maravilhosa.

    Blog Flores na Cabeça
    Paixão por Sorteios

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Clayci, é extremamente interessante e emocionante. E com a escrita bem simples e gostosa.

      Excluir
  4. O livro parece ser bem fácil de ler e ter uma história incrível, curti!!

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é bem gostosinho de ler, bem tranquilo. E é impressionante a ideia, muito original!

      Excluir
  5. Adorei *-* Agora fiquei com uma vontade imensa de ler esse livro, só que acabei de comprar mais 2 e ainda nem terminei de ler o penultimo. haha
    Beijão, www.desapegaadri.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adri, quando puder, compra pelo Amazon que tem várias promoções e livros super baratos.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.