Resenha: Magônia, Maria Dahvana Headley

17 de outubro de 2016

    "Uma fantasia original com ótimos personagens, complexidade emocional e um universo fantástico. Aza Ray nasceu com uma estranha doença incurável que faz com que o ato de respirar se torne mais difícil. Aos médicos só resta prescrever medicamentos fortes na esperança de mantê-la viva. Quando Aza vê um misterioso navio no céu, sua família acredita que são alucinações provocadas pelos efeitos do medicamento. Mas ela sabe que não está vendo coisas, escutou alguém chamar seu nome lá de cima, nas nuvens, onde existe uma terra mágica de navios voadores e onde Aza não é mais a frágil garota enferma. Em ''Magônia'', ela não só pode respirar como cantar. Suas canções têm poderes transformadores e, através delas, Aza pode mudar o mundo abaixo das nuvens. Em uma brilhante e sensível estreia no gênero young adult, Maria Dahvana Headley constrói uma fantasia rica em nuances e cheia de simbolismo."

Título: Magônia | Autora: Maria Dahvana Headley | Editora: Galera Record | ISBN: 9788501105882 | Páginas: 308 | Skoob | Nota: 4/5
Livro recebido em parceria com a editora para resenha

    Magônia me ganhou pela capa, devo confessar.  Não li sinopse, não pesquisei absolutamente nada sobre o livro antes, apenas gostei da capa  e do fato de ser Fantasia e solicitei. Já posso adiantar que não me arrependi em momento algum, então vamos descobrir o que eu achei da história.
    O livro começa como uma história normal, a fantasia nos é introduzida aos poucos e de uma maneira inusitada. Aliás, toda a construção da autora é inusitada, original. Eu nunca tinha lido nada parecido e fiquei perplexa com tamanha criatividade. É claro que algumas pontas no universo da autora ficaram soltas, nem tudo é perfeito, mas é um excelente começo.
    Aza tem uma doença raríssima desde pequena, mas tão rara que só ela tem a doença no mundo. E a doença foi batizada com o nome dela, mas sua mãe está tentando desenvolver algum tipo de cura ou antídoto que prolongue por mais algum tempo a vida da garota. Além de seus pais Aza conta com uma irmã Eli, e um melhor amigo: Jason. Eles são secretamente apaixonados um pelo outro, mas deixaram as melhores oportunidades passar. Porque quando Aza sofre uma crise na escola, ela começa a ter visões que vão mudar completamente a sua vida.
    Magônia é um outro mundo, dentro do nosso planeta mesmo. Um mundo repleto de criaturas fantásticas e habilidades incríveis, mas que Aza não conhece e está sozinha. Eu adorei os seres, a mitologia e tudo mais. Mas além do enredo, a escrita de Maria é muito fluida. Com uma pitada de humor, algumas gírias adolescentes e piadas irônicas e nerds pra deixar as coisas mais divertidas. O jeito como ela escreve é atual, contemporâneo. De conquistar muita galera por aí.
    Os personagens são muito bem trabalhados, criados.  Eu não tenho um favorito, mas acho que eles
 foram convincentes, não fizeram muitas escolhas erradas e não tentaram agir de uma certa forma para o agrado de ninguém. Pelo contrário, eles foram se apresentando.
     Porém Magônia não traz a nós apenas romance e fantasia. Pelo contrário, é um livro que faz críticas: a forma como tratamos (nós, os humanos) o meio ambiente e também sobre a compreensão e aceitação de si mesmo.
     A única coisa que eu não gostei muito foi o final. Achei que acabaria de uma outra forma e minhas expectativas não foram atendidas. Não foi um final péssimo, mas poderia ter sido bem melhor. Algumas coisas aconteceram com muita facilidade, eu esperava mais drama no desfecho do livro. Mas apesar de todas as ressalvas o livro é muito bom e mereceu nota 4, então estou muito ansiosa pra ler o próximo volume dessa série.

9 comentários:

  1. Eu amaria ler pois amo livros assim que fogem da realidade :)
    Ótima resenha e lindo blog.

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
  2. Tenho que confessar que não é meu gênero mas a forma coo você expôs a resenha me deixou um tanto curiosa, parabéns pelo trabalho, irei dar mais uma pesquisada e colocar na lista, eu adorei a capa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Confesso que a sua resenha quase me fez querer ler ( eu que não sou fã do gênero)
    Mas daí venho as ressalvas. Então passo a dica!
    Contudo curti muito a resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. oie, talvez o final não tenha sido tão espetacular justamente por ter essa continuação, mas que bom saber que a escrita é fluída e que temos uma boa construção dos personagens. não faz muito meu estilo mas tenho ficado bem intrigada com as resenhas que tenho visto.

    ResponderExcluir
  5. Oi. A capa desse livro me fez recordar de um similar da Novo Conceito. Realmente, a capa é fofa e que bom você não ter se arrependido de ter feito o pedido. O enredo parece bem instigante e curioso, gostei, pena que suas expectativas não foram atendidas para o fim do livro.

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Estou louca para ler esse livro, após suas considerações fiquei mais animada ainda.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  7. Ola, tudo bem?
    Não conhecia este livro, não entendo esta coisa de livros que fazem parte séries terminarem de um jeito meia boca, provavelmente para você ler o segundo livro.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  8. Oi Thaísa,

    Logo que li o título do post, tive um pequeno acesso de dislexia e li "Magnólia", hehe, só lá pela metade do post percebi o que eu tinha feito. Acontece, rs.
    Sobre o livro em si, fiquei com vontade de ler mas acho que foi mais pelo mistério da sua resenha. Gostaria de ter tido mais detalhes sobre a mitologia e as criaturas da estória (mesmo que elas fossem spoilers). Fato é que fiquei curiosa, porque gostei da premissa da doença rara de Aza. E talvez o final "aberto" seja sinal de continuação, não?

    Um beijo,
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oie,

    Senti uma mistura bem legal dos livros de HP com esse mundo fantástico criado pela autora. Margônia me parece ser um mundo onde todas as coisas são possíveis. Enredos fantástico sempre me animam!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.