Resenha: Lúcida, Ron Bass & Adrienne Stoltz

27 de novembro de 2016

    "Um thriller psicológico eletrizante, do roteirista de Rain Man e O casamento do meu melhor amigo. Sloane é uma aluna nota 10, com uma grande e amorosa família. Maggie vive uma existência glamorosa e independente, como aspirante a atriz em Nova York. As duas não poderiam ser mais diferentes. A não ser por um pequeno detalhe, algo que não têm coragem de revelar a ninguém. À noite, cada uma sonha que é a outra. Os sonhos são tão vívidos que as garotas sentem e experimentam o que a outra está passando naquele momento. Seriam as duas reais? Uma delas estaria mentalmente instável e imaginando a outra? Seriam ambas a mesma pessoa? Qual delas é real?"
Título: Lúcida | Autora: Ron Bass & Adrienne Stoltz | Editora: Galera Record | ISBN: 9788501077646 |  Páginas: 364 | Nota: 5/5  | Skoob
Livro recebido em parceria com a editora para resenha

    O que é real? O quê exatamente separa o que é real do que não é? Para você podem ser perguntas fáceis, mas para Maggie e Sloane com certeza não. São duas garotas completamente diferentes, que carregam o mesmo nome e o mesmo segredo, ambas se chamam Sloane Margaret Jameson e toda noite, desde sempre, uma sonha que é a outra. Vivem os dias uma da outra e sabem de toda sua vida, seus segredos e pensamentos também. Um enredo de potencial enorme e com clima de suspense, onde o leitor vai, junto destas garotas, tentar descobrir a verdade.
    Eu demorei muito tempo juntando as palavras e tentando formar frases dignas pra conseguir expressar o quanto eu fiquei fascinada pelo livro. Este foi um ano recheado de ótimas leituras, mas Lúcida foi, sem dúvidas, o livro que me deixou mais extasiada nos últimos onze meses e talvez um dos melhores que eu já li na minha vida. Então eu vou tentar explicar da melhor forma o que eu senti.
     A narrativa me prendeu desde o início e os capítulos alternados entre os dias de cada uma das personagens funcionou muito bem. Toda vez que Maggie dorme, Sloane acorda e assim sucessivamente, mas nenhuma das duas sabem quem é real e quem é apenas uma invenção e embora o leitor tente dar palpites, os acontecimentos vão os fazer questioná-los várias vezes. Ou seja, não é uma tarefa fácil adivinhar o quê exatamente está acontecendo. 
    O núcleo de personagens na vida de cada uma das garotas é muito bem construído e a personalidade delas duas também. Não gostei de Maggie no início e de Sloane sim, mas aos poucos fui me afeiçoando às duas e desejando para que ambas fossem reais e se encontrassem em algum momento. Não estou dizendo que elas não sejam ou não se encontrem. Torci muito pelas duas e percebi que cada uma tinha seus traumas, seus problemas e vivências. E lidar com a possibilidade de não ser real amedrontava tanto Maggie quanto Sloane igualmente. 
    Comecei a leitura receosa, pois vi várias resenhas dizendo que o livro era extremamente confuso e preciso ressaltar aqui que eu discordo. O livro é bastante complexo, mas requer muito da atenção e do interesse do leitor. Talvez seja lento se você não se identificar com uma das personagens, mas pelo menos na minha experiência, quanto mais confusa as personagens ficavam sobre os sonhos, mais interessada eu ficava. É um bom suspense, sem dúvidas. E eu que nem gosto muito de ler suspense me senti presa na história do começo ao fim. 
     Apenas uma coisa não aconteceu do modo como eu gostaria, mas é algo bobo e que eu não posso dizer qual é, ou isso estragaria sua experiência (porque eu tenho profundas esperanças que todos leiam este livro). Mas fui deliciosamente surpreendida em muitos aspectos e fiquei maravilhada com o desfecho do livro que, foi muito bem planejado e de uma coerência tamanha. 
     Por quê Lúcida foi o melhor livro do ano pra mim? Eu não sei explicar em uma frase, mas a forma como o livro trata de assuntos como a insanidade mental e a questão do ser foi algo que me agradou muito. Talvez o fato de que eu não esperava muito do livro também tenha contribuído. Mas se ambas são reais ou qual delas é? Eu jamais responderia esta pergunta, mas asseguro de que é um ótimo livro e recomendo à todos que se deram ao trabalho de ler esta resenha até o fim.

11 comentários:

  1. Oi Thaisa, tudo bem?
    Vou ser sincera e dizer que esse livro pela capa e sinopse não me interessaram em nada. Mas ai eu comecei a ler a sua resenha e ver sobre suas impressões me deixou muito curiosa, mas você finalizar dizendo que foi o livro do ano, foi a cereja do bolo. Dica mais que anotada. Espero curtir a leitura tanto quanto você. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oiii Thaísa, tudo bem?
    Por mais que sua resenha tenha ficado ótima, achei a história bastante confusa já na sinopse, não que seja na sua resenha, mas a obra toda ia embolar a minha cabeça lenta hauahauahu amei a foto.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Que delicia e que medo de ler sua resenha...
    Isso porque Lucida é uma das minhas próximas leituras e eu estou bastante empolgada, então tinha um certo medo de pegar algum spoiler ou alguma coisa que me fizesse desistir de querer ler o livro, sabe? Que me desanimasse, mas não foi o que aconteceu. Sua resenha só me fez ficar ainda mais empolgada e espero curtir tanto quanto você :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi, Thai ^^
    Logo quando vi esse lançamento da Galera fiquei bem curioso para saber do que se tratava e iria procurar resenhas para ficar por dentro, mas esqueci e somente com a sua resenha quem vim saber do que se trata, afinal, essa obra.
    AMO triller, esse é o gênero que me traz o sentimento de impotência e é sempre enriquecedor aprender com esse sentimento.
    Lúcida parece ter o enredo bem confuso, mas que se você parar e ler de verdade entenderá perfeitamente. Durante a leitura da sua resenha me senti extremamente frustrado sem saber qual das duas é a que de fato existem e na minha mente já bolei algumas teorias sobre a questão, Thai.
    Gosto de personagens bem construídos e que trazem o sentimento realista do que é viver. Deve ser agonizante demais chegar a noite e não saber quem você é por estar já perdido na vida do outro!
    Espero um dia poder ter a chance de ler essa belezura e que bom a Galera apostar nesse gênero. Que venha pencas de triller por aí! hasuhsauas
    Ótima resenha, quando eu ler a obra vou te avisar se gostei ou não, viu? Fique avisa, Thai.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    To lendo esse livro. To no começo ainda, pela página 90, até agora to achando ok, nada de mais. Sua resenha me deixou bem empolgada. Depois q eu terminar volto aqui para contar o q achei!
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Quero muito esse livro antes de o ano finalizar, porque a forma como a Insanidade Mental é trabalhada, realmente é o ponto forte da obra. Acho que me encantaria como você pelo livro. Dica anotada'

    ResponderExcluir
  7. eu lembrei de Clube da Luta kkkkkkkkkkkkk
    enfim...achei a premissa curiosa mas no momento tô me aventurando em outro gênero literário... de qualquer forma vou guardar a indicação, futuramente posso estar com vibe pra ler...
    bjs...

    ResponderExcluir
  8. Oie
    muito legal sua resenha, eu recebi o livro e estou bem curiosa para ler, adorei essa capa, parece ser uma historia bem instigante, que bom que gostou tanto

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Thaísa,
    Interessante como uma obra literária pode provocar reações diferentes entre os leitores. Também já li resenhas falando que o livro é confuso, por isso a surpresa quando li que você achou uma das melhores leituras de 2016. Com certeza, a trema é bem interessante. Espero ter a oportunidade de ler e me posicionar entre as duas opiniões.
    Beijos,
    André, do Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  10. Estou arrependida, eu ignorei este livro por ter pensado que era leviano e tal ... agora quero ler. Sério que foi seu livro do ano? Quero ler e saber quem é real ou se tem alguém real hahaha!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.