Livro x Série: 13 Reasons Why

12 de abril de 2017
   "Hannah Baker cometeu suicídio. Um dia ela esta na escola e no outro não estava mais. Nunca mais. E não é como se todo mundo sentisse falta dela. Clay Jensen sente. E ele não consegue entender o que aconteceu, o que pode ter levado Hannah a acabar com a própria vida. Mas isso não vai durar muito tempo, porque a garota armou uma forma de fazê-lo entender o que houve. Ele e todos os outros envolvidos. Quando Clay volta da escola, em um dia aparentemente comum, encontra à sua espera um misterioso pacote com sete fitas cassetes com cada lado numerado de 1 a 13. Ao apertar play na número 1 se dá conta que quem está falando é Hannah, e que ela quer compartilhar os motivos que a levaram à morte."
   Nos últimos dias muito tem se falado do novo lançamento da Netflix, a série 13 Reasons Why, baseada no livro de Jay Asher. O livro já estava na minha lista de leitura há um bom tempo, mas eu nunca conseguia tempo para lê-lo, a série foi um incentivo a mais pois eu queria ler antes de assistir então depois de ter lido e conferido toda a adaptação cá estou eu pra contar o que eu achei de cada um, quais são as diferenças e qual dos dois eu prefiro. Vamos começar?


O livro
Foto: Bela Psicose
Título: Os 13 Porquês | Autor: Jay Asher Editora: Ática | Ano: 2009  | Páginas: 256 | Nota: 3/5 | Skoob

   Livros que tratam de assuntos como o suicídio tendem a trazer alguns gatilhos, geralmente são intensos e costumam emocionar as pessoas. Primeiro por se tratar de algo que precisa ser mais discutido na sociedade e, principalmente, por muitas pessoas se identificarem. 
   Hannah passou pelas piores experiências do ensino médio, sofreu bullying, foi vítima das mais maldosas fofocas, sofreu agressão física e verbal, foi traída por pessoas que considerava serem suas amigas várias vezes e além de tudo seus pedidos de ajuda foram ignorados, tratados como "tentativa de chamar atenção" e "drama", além é claro de muitas outras coisas que eu não vou falar por motivos de spoilers, afinal eu não quero estragar a sua experiência caso você resolva ler.
   Depois de já ter lido vários livros sobre este tema eu reparei que os enredos tendem a ser criativos, afinal o autor precisa encontrar uma maneira original de contar a história, porque o final a gente já sabe, né? Com Os 13 porquês não foi diferente, o livro é bem original e a narrativa muito interessante, eu não conseguia simplesmente parar de ler. 
   Os personagens Clay e Hannah foram bem construídos, personalidades completamente diferentes e que dão sentido à história, mas eu senti falta de muita coisa. Por exemplo, o autor poderia ter escrito alguns capítulos na visão dos outros personagens principais e cruciais da história, ou seja, os outros motivos. Pois só temos o ponto de vista de Clay ouvindo as fitas, não sabemos como os outros culpados reagiram e menos ainda os pais da Hannah, achei muita falta se sensibilidade do autor não ter trabalhado no sofrimento dos pais da garota
   É um livro bom, me fez parar pra pensar (mais uma vez) em muitas coisas erradas que fazemos todos os dias e na maneira como tratamos uns aos outros, mas eu acredito que Jay poderia ter se aprofundado muito, muito mais. Só por isso não dei ao livro as cinco estrelas, eu esperava mais da obra. 

A Série 
13 Reasons Why | Criada por: Brian Yorkey  | Emissora: Netflix | Episódios: 13 (49 - 61 minutos) | Direção: Thomas McCarthy  | Produção: Selena Gomez 

  Toda adaptação sofre muitas alterações, às vezes pra pior e outras pra melhor. Assim que eu terminei de ler o livro já dei play na série e confesso, assisti tudo em apenas um dia. A primeira diferença que eu notei foi a relação de Clay e Hannah, no livro eles quase não se falam, trabalham juntos e assistem algumas aulas na mesma classe, mas quase não trocam uma palavra. Até o dia da festa, em que eles desenvolvem um vínculo importante, mas após a festa Hannah passa novamente a ignorá-lo. Eu particularmente achei muito digna a mudança, faz muito mais sentido dessa maneira.
   Na série quase todos os defeitos do livro foram compensados, nós temos uma visão mais ampla da bola de neve. Ou seja, acompanhamos a reação dos outros personagens que fazem parte da lista de motivos de Hannah e vemos como essas reações em cadeia só aumentam essa bola de neve, tornando algo muito maior. Profundidade, essa é a palavra. Os personagens são muito mais trabalhados na série que no livro. A única coisa que me irritou foi a lentidão com que Clay ouve todas as fitas. No livro não demora nem três dias pra ele descobrir tudo, na série ele leva semanas pra chegar até a última. 
   A questão do bullying, as cenas de agressão (verbal, física) e de abuso são fortes. Emocionantes e podem despertar gatilhos de uma maneira mais avassaladora ainda. A cena do suicídio da Hannah foi muito bem trabalhada, é dolorosa como tem que ser. Triste só é o fato de alguns de nós ainda precisem de uma série da Netflix pra levar este assunto a sério.
   A mensagem que fica é que ninguém sabe o que o outro está passando, ninguém sabe a dor que o outro está sentindo. Cada um de nós vive uma guerra dentro de si e é extremamente importante que ninguém desconte nos outros os próprios problemas apenas pra se sentir melhor. É importante prestar atenção nos sinais quando alguém estiver precisando de ajuda e sermos empáticos, ao invés de simplesmente assistir a vida de alguém se esvair com a desculpa de que não há nada que possamos fazer. Porque sempre há.
   Eu amei a série, apesar de ter sofrido muito pra ver os últimos episódios por ter os meus próprios traumas e gatilhos também. Só espero que quando a hype passar, quando novas séries surgirem, quando 13 Reasons Why cair no esquecimento do catálogo da Netflix, as pessoas continuem dispostas, como parecem estar agora, a mudar a forma de agir com o próximo. 

6 comentários:

  1. Eu tô assistindo e gostando muito, mas n conferi o livro!
    Realmente, espero que quando a onda passar, a gente n esqueça do aprendemos com a história!

    Bjooooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também espero muito Fer, termina lá e me conta o que achou. Eu vi tudo em um dia kkk

      Excluir
  2. Ainda não li, a capa dessa edição está fantástica :) A série também ainda não vi,só depois de ler o livro.

    Bitaites de um Madeirense

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo fico muito contente com a sua escolha, espero que goste do livro e da série!

      Excluir
  3. Eu queria muito ter lido o livro antes de assistir, mas sou tão ansiosa que não aguentei. Eu achei a série um balde de água fria com gelo na cara de todo mundo, principalmente de pessoas que normalmente são "os porquês".

    To vendo muita gente criticar que "Ah, a série é muito pesada, não poderia falar sobre isso sem mostrar tudo?", "Ah, a série é horrível pra quem sofre muito e tem pensamentos suicidas" entre outras coisas. Assim como a música "Til It Happens To You" da Lady Gaga diz, as pessoas só vão saber como é quando acontecer com elas. E a série fez as pessoas entenderem por mostrar a realidade, como é todo esse sofrimento e vazio que as pessoas sentem a ponto de cometer suicídio. Sem essa representação forte, as pessoas não teriam esse baque enorme e não mudariam sua forma de pensar sobre esse assunto.

    Adorei sua resenha Thaí, como sempre!

    Beijinhos <3
    www.blogeaigabi.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu assisti a serie e o livro foi para a wishlist, confesso q no ultimo episodio parei na metade, pela cena que vc sabe qual, me deixou perturbada sem poder assistir o resto, ainda quero terminar o ultimo episodio, mas de preferencia quero estar sem nada no estomago 0_0
    sua analise foi ótima, é uma pena mesmo precisar da netflix para o assunto começar a ser levado a serio =(

    bjus

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.