O visconde que me amava, Julia Quinn

6 de junho de 2017
Sinopse: "A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração. Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis."
Título: O Visconde que me amava | Autora: Julia Quinn | Editora: Arqueiro | Ano: 2013 | Páginas: 288 | Nota: 5/5 Favorito | Skoob | Livro recebido em parceria com a editora para divulgação


Resenhas anteriores:
  Se você gosta de romance, mas nunca leu um livro de Julia Quinn em toda vida eu sugiro que comece logo. Torci tanto o nariz para os romances de época que agora está sendo difícil arranjar tempo para ler todos os que eu gostaria. A série Os Bridgertons foi meu primeiro contato com o gênero e eu estou completamente apaixonada, leria um livro por dia se eu pudesse.
   O visconde Anthony Bridgerton, filho mais velho de todos os Bridgertons, resolveu que é a hora de se casar. Mas ele não pretende se apaixonar pela esposa, seu único objetivo é casar, procriar e morrer, por questões de praticidade. Ele escolheu o diamante da temporada, Edwina Sheffield, porém para se casar com ela precisa convencer Kate, sua irmã mais velha e também debutante, que não é apenas um libertino arrogante e infiel. Eu simplesmente adoro estes cenários criados pela autora onde sempre existe um conflito inicial que "impede" de alguma forma o romance, torna a leitura muito excitante.
   Anthony parece ser sem graça e um tanto chato no começo do livro, mas ao decorrer da história se mostra um personagem maravilhoso. Sedutor e irresistível até que se prove ao contrário, porém doce e apaixonado nas medidas certas também. Já Kate foi um amor a primeira vista, atrevida, desastrada e fora dos padrões da sociedade londrina da época, não teve como não roer as unhas esperando pelo final feliz.


  Eu gostei muito da maneira como a autora trabalhou com os traumas de infância de ambos, no primeiro livro ela também havia tratado de outro trauma envolvendo Simon, o duque de Hastings. Também gosto muito das reviravoltas maravilhosas que ela costuma colocar em seus livros, faz com que seja praticamente impossível parar de ler. Eu levei alguns bons dias pra terminar pois estava em semana de provas, do contrário, teria lido em apenas uma sentada.
  Quem está acostumado com romances de época sabe que a maioria deles contém em sua composição uma quantidade deliciosa de cenas quentes de sexo, mas O visconde que me amava possui uma dose mais generosa dessas cenas que o primeiro livro. Eu particularmente fiquei sem ar, os diálogos entre Anthony e Kate, MEU DEUS! fiquei querendo mais e mais capítulos daquilo. Preciso repetir, caso não tenha ficado claro, que Anthony é extremamente sedutor.
   O livro é maravilhoso, eu favoritei, mas ainda é cedo pra dizer qual deles eu gosto mais. Não vejo a hora de ler todos os volumes, por que é que ainda ninguém teve a genial ideia de adaptar essa série maravilhosa e digna para TV?

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.