Se você quer mudar: comece!

19 de outubro de 2017
Foto: Ben O'Sullivan

   Há algum tempo eu tenho estado infeliz comigo mesma, com o meu corpo e com as minhas atitudes - e falta de algumas delas - e isso tem refletido e afetado muito todos os aspectos da minha vida. No meu relacionamento, na minha família, no meu trabalho e principalmente no que eu pensava sobre mim mesma todos os dias ao me olhar no espelho. Até do blog eu me afastei, nem mesmo a Netflix eu tinha disposição ou ânimo para assistir. Este é um post sobre como eu escapei do fundo do poço. 

   Eu nunca fui de seguir dieta, nunca fui de fazer exercícios e também nunca estive muito acima do meu peso, porém no ano passado eu comecei a perder o controle, deixei a ansiedade tomar conta e descontava na comida toda minha frustração, raiva e tristeza com meus problemas emocionais. Comecei a engordar consideravelmente e isso só piorou quando, neste ano, eu sofri um acidente e fiquei um bom tempo de cama/cadeira de rodas, o que me fez engordar mais ainda. Eu fui do 38 pro 42, aparentemente nada demais, só dois números não é mesmo? Mas se colocarmos na balança eu subi dos 65kg pros 77kg, deu pra ver a diferença? Mais de dez quilos em menos de um ano pra alguém com sérios, repito: sérios problemas de auto estima. 

  Tentei de diversas formas aceitar meu corpo em primeiro lugar; ignorei os muitos comentários infelizes; comprei roupas maiores e seguiu-se o baile. Voltei pra terapia, li diversos artigos empoderadores sobre o assunto e tentei durante um bom tempo colocar na minha cabeça que estava tudo bem. O problema é que pra mim não estava. Sempre achei linda a atitude de quem se ama, se respeita e se aceita do jeito que é independente do peso ou das curvas, mas eu não me amo assim, não conseguia me olhar no espelho e me achar bonita, nada era sincero. Então por mim, jamais pelos outros, eu decidi mudar. Só que mudança nenhuma se faz de promessas, o primeiro passo é começar.

   Cada decisão que eu fiz pra mudar e alcançar os meus objetivos, como parar de tomar refrigerante; mudar a alimentação e acordar duas horas mais cedo pra malhar, pareciam sacrifícios imensos no começo, eu morria de preguiça só de pensar, mas hoje eu sei que fiz as escolhas certas. Faz apenas um mês que eu repensei nisso tudo e já senti diferenças enormes na minha vida e não só relacionadas à balança. Minha disposição aumentou; minha auto estima eu nem preciso dizer que melhorou; aquela calça apertada que quase foi doada voltou a servir; minha pele melhorou; o cabelo ficou mais bonito e no final das contas a perca de peso ainda nem foi tão significante, mas pelo menos eu estou no caminho.

   Hoje eu me olho no espelho e fico feliz com a pequena diferença, cada conquista por menor que seja é uma conquista. Agora são três leões por dia. Algumas pessoas me dizem que não é pra tanto, que eu estou ótima assim, mas se tem alguma coisa que eu aprendi com os altos e baixos da minha ansiedade e depressão nos últimos anos este algo é que de uma maneira ou de outra você vai ser julgado. Acima ou abaixo do meu peso as pessoas vão te criticar de qualquer jeito, então a saída é decidir como você se sente sobre isso e escolher o caminho que te faz mais feliz, sem esquecer, é claro, de se manter saudável. 

   Talvez este texto não tenha te acrescentado em nada, até porque foi mais um desabafo, mas a ideia que eu quero passar é que se você quer mudar: comece! Ninguém vai fazer por você, seus objetivos não vão virar realidade a não ser que você os faça virar realidade. Toda pessoa que almejou sucesso em alguma área da vida, começou de baixo, mas é preciso começar. 

3 comentários:

  1. Oi Taisa
    eu tô no caminho... do fundo do poço :(
    Depois que minha mãe morreu eu só piorei
    foram qse 30 kgs
    Engravidei e incrivelmente, perdi peso.
    Emagreci 20 kgs no pos-parto mas n me cuidei e engordei 22kgs.
    Agora além de estar muito acima, c IMC 33 e ouvir diariamente que eu tô gorda, tem a coluna. Tá gritando por socorro, tenho escoliose e o peso só piora. Preciso fazer exercícios, preciso me reeducar, preciso estar viva pra cuidar do meu filho!
    Eu PRECISO agir, por mim, pelo meu bem mais precioso, meu filho!!!
    Esse seu post é um alívio, de ver que pessoas reais conseguem, aos poucos, dia a dia
    Força pra vc que começou e pra mim que preciso começar!
    Nós conseguiremos!!

    Bjooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer, antes de mais nada meus pêsames, sinto muito pela sua perda. Mas como vc mesma disse, precisa agir por você e pelo seu filho. Acredito na sua capacidade, espero que encontre forças pra buscar sua saúde e disposição, desejo tudo de bom!

      Excluir
  2. Quando comecei a ler a primeira frase do texto já rolou uma identificação enorme com a situação. Eu ando bem desanimada com tudo, e isso tem refletido na minha saúde, no trabalho, no blog e na minha forma de ver o mundo em geral. É ruim, e eu tenho consciência do que está acontecendo, mas quando estamos com um problema às vezes pensamos que estamos atadas a ele e que é só seguir o baile que uma hora fica tudo certo, né? Adorei o post! Um beijo :*

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.