BEDA 1 | A caminho do altar, Julia Quinn

by - quarta-feira, agosto 01, 2018


"Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece. O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la. Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele? A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la."

Título: A caminho do altar | Os Bridgertons #8 | Autora: Julia Quinn | Editora: Arqueiro | Ano: 2016 | Páginas: 320 | Nota: 5/5 | Skoob | Livro cedido em parceria com editora para divulgação | Compre Aqui

Resenhas anteriores:
O Duque e eu
O visconde que me amava
Um perfeito cavalheiro
Os segredos de Colin Bridgerton
Para Sir Phillip, com amor
O conde enfeitiçado
Um beijo inesquecível

   Finalmente chegamos a história do oitavo - e último - dos irmãos Bridgertons. Gregory sempre me deixou intrigada, assim como suas expectativas eram para com o amor foram as minhas para com o livro: altas. Logo no começo já tive a certeza de que sua história me arrebataria, Julia começa narrando uma cena onde nosso mocinho está correndo, a todo pulmão, para parar um casamento - parar um destino terrível - com o que lhe resta de esperanças de poder tomá-la em seus braços. Ali você já tem uma ideia de quão avassalador é o sentimento que vai decorrer entre as páginas seguintes e, naquele momento eu tive certeza: seria o meu preferido da série.

   Gregory sente que vem esperando a vida toda por um momento que ele nem sabe qual é, vem ansiando pelo dia em que a veria e saberia que estaria arruinadamente apaixonado. Tal cena não demora a acontecer, o que ele não sabe - mas nós sabemos - é que Hermione Watson não é seu verdadeiro amor, embora ele acredita com finco que seja. Gostaria eu de ter acesso ao acervo de criatividade da autora um dia, porque os enredos inusitados que ela cria a cada livro só me surpreende mais. 

   Os personagens são encantadores, divertidos e apaixonantes. O fato de eles não saberem (mas acharem que sabem) por quem estão verdadeiramente enamorados é o que faz a história se desenrolar, numa narrativa bem fluída e envolvente, com reviravoltas de aplaudir. Senti falta de Hyacinth neste livro, ela de fato aparece, mas por ser a irmã "mais próxima" de Gregory achei que sua participação seria um pouco maior ou significante. O que não é um problema, claro, já que os principais da história são bem construídos.


    O amor de Gregory não é tão envolvente quanto de Michael por Francesca (O conde enfeitiçado), porém por se tratar de um sentimento mais romântico e poético foi muito bonito e gostoso de ler. Vê-lo se dando conta de seus sentimentos a cada página era de tirar o ar. Lucinda, por sua vez, me comoveu muito com sua história: sem pais, com um casamento arranjado há anos e sempre vivendo nas sombras da estonteante amiga Hermione. Além disso, me surpreende que a personagem não tenha feito tanto charme desnecessário para assumir o que sente, e se o fez teve seus motivos um tanto razoáveis. Vê só, estou começando a escrever como se estivesse lendo agora mesmo um romance de época.

   A caminho do altar pode ser menos "escandaloso" que os outros, ou ter uma quantidade menor de cenas íntimas, mas por algum motivo foi o que eu mais gostei. Achei que foi completo, não lhe faltou absolutamente nada, menos ainda no final. E que final! Ri comigo mesma por um bom tempo e fiquei imaginando todas as possibilidades que o desfecho dessa história sugeriu. Portanto, se você ainda não tem certeza se quer ler a série dos Bridgertons, meu conselho é que deve. Sem dúvidas.

You May Also Like

0 comentários

Tecnologia do Blogger.